Dr. Francisco Franco da Rocha

  O PRINCIPAL INTRODUTOR DA PSICANÁLISE NO ESTADO DE SÃO PAULO

Dr. Francisco Franco da Rocha

Dr. Wagner Paulon

2002 - 2010

Dr. Francisco Franco da Rocha, Psicanalista, músico, escritor, ornitólogo (especialista em Tico-Tico), brasileiro nascido na cidade paulista de Amparo aos 23 de agosto de 1864 e faleceu no dia 8 de novembro 1933, pioneiro na utilização da laborterapia e que teve papel decisivo para a introdução da Psicanálise no Estado de São Paulo. Filho do Doutor José Joaquim Franco da Rocha e de Dona Maria Isabel Galvão Bueno Franco da Rocha, concluiu a graduação na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro e doutorou-se pela Universidade de São Paulo, discípulo de Teixeira Brandão em psicopatologia, iniciou sua carreira de médico preocupando-se com o tratamento dos doentes mentais.

Dr. Francisco Franco da Rocha, foi pioneiro na utilização da laborterapia, um tipo de tratamento que não feria a dignidade dos pacientes, com o auxílio de trabalhos como a manutenção de hortas e pomares outras atividades manuais, sendo que para desenvolver esse tipo de tratamento, ajudou a fundar um Asilo Colônia. Franco da Rocha viveu 69 anos e construiu uma carreira pessoal rica em todos os sentidos.

Dr. Francisco Franco da Rocha, casou com Dona Leopoldina Lorena Ferreira Franco da Rocha. Passou boa parte da sua vida residindo em Juquery onde criou seis filhos e desenvolveu seu interesse pela ornitologia.

Dr. Francisco Franco da Rocha, sua vida foi dedicada ao Hospício de Juqueri. Participou da escolha do local, planejou sua estrutura e dedicou sua vida no atendimento dos pacientes e construindo uma equipe que foi fundamental no desenvolvimento da psiquiatria paulista. Sua vida na totalidade de sua existência está ligada à ideia de amor ao próximo, da caridade e do desprendimento aos bens materiais.

Dr. Francisco Franco da Rocha afirmava: ”É dando que se recebe” e estas palavras são famosas por serem de São Francisco de Assis. Sua maneira direta e honesta de lidar com os pacientes e seus colegas, assim como, sua firmeza de caráter e obstinação na consecução dos seus objetivos.

Dr. Francisco Franco da Rocha, tinha pelos insanos uma profunda meiguice, uma limitada paciência, uma enorme dose de simpatia e piedade. E afirmava sempre: “Tenho que desdobrar a minha atividade em proveito dos infelizes que carecem de conforto”. Ulisses Paranhos afirmava: “a sua voz aveludava-se, os seus modos ganhavam atitudes paternais, os seus gestos eram brandos, as suas perguntas chegavam, como setas, em bebidas no suco das papoulas, ao coração do deserdado da razão. E o milagre se operava. O doente cedia ao prestigio da candura, ao império da bondade e ás ordens brandas do coração, começava a tranquilizar-se, a ceder, a humanizar-se”.

Dr. Francisco Franco da Rocha, foi o primeiro Diretor do Hospital Asilo Colônia inaugurado em (1898). A unidade começou a ser construída (1895), com projeto do arquiteto Ramos de Azevedo, uma área de 150 hectares, com capacidade inicial de 800 leitos, em um terreno de à margem da linha férrea, próximo à estação Juqueri. Este espaço foi inaugurado com o nome de Hospital Asilo Colônia (1898), mas só concluído seis anos depois. Hoje é chamado de Hospital Psiquiátrico do Juqueri, na Vila Juqueri, atual município de Franco da Rocha, nome esse dado ao município em sua homenagem (decreto lei 6.693 de 21/09/1934). A direção foi entregue ao grande psicanalista que passou a morar no local com a família e lá criou seus seis filhos, junto com a esposa Dona Leopoldina Lorena Ferreira Franco da Rocha.

Dr. Francisco Franco da Rocha, na virada do século às ideias de Freud e iniciou seus estudos psicanalíticos propriamente ditos, e obteve destaque também na carreira acadêmica.

Dr. Francisco Franco da Rocha, foi o primeiro professor de Neuropsiquiatria da Faculdade de Medicina de São Paulo (1918-1923). Na aula inaugural, discorreu sobre as ideias de Freud, porém nesse campo foi apenas um estudioso, sem praticá-las profissionalmente.

Dr. Francisco Franco da Rocha, aposentou-se do cargo de Diretor do Hospício de Juqueri (1923), aos 58 anos de idade, e anos depois, por iniciativa de discípulos e amigos, foi erguida uma herma do mestre, busto em que o peito, as costas e os ombros são cortados por planos verticais, em bronze, no saguão do hospital (1928).

Dr. Francisco Franco da Rocha, é autor de uma vasta bibliografia encontrada no Índice Bibliográfico Brasileiro de Psiquiatria, faleceu em São Paulo, em consequência de enfisema pulmonar, aos 69 anos de idade, em 8 de novembro 1933.

Bibliografia do Dr. Francisco Franco da Rocha encontrada no Índice Bibliográfico Brasileiro de Psiquiatria:

Franco da Rocha, Francisco. Alcoolismo e loucura. Soc. Med. Cirurgia Do Rio De Janeiro-Conferência. 1918; agosto.

Franco da Rocha, Francisco. Asilo-colônia de alienados de Juqueri. Arq. Criminologia, Med. Legal e Psiquiatria, Buenos Aires. 1902.

Franco da Rocha, Francisco. Assistência familiar aos alienados em S. Paulo.  Arq. Bras. De Psiquiatria, Neurologia e Ciências Afins. 1906; 2(1): 18-24.
Keywords: alienados de São Paulo; assistência familiar.

Franco da Rocha, Francisco. Assistência familiar aos insanos em S. Paulo. Arq. Bras. De Psiquiatria, Neurologia e Ciências Afins. 1910; 6(4): 397-402.

Franco da Rocha, Francisco Combate ao alcoolismo. Gazeta Médica Da Bahia. 1928; 59(..): 149-153.

Franco da Rocha, Francisco. Delinquente epiléptico. Rev. Médico-Legal, Salvador, Bahia. 1897; 129.

Franco da Rocha, Francisco. Esboço de psiquiatria forense. São Paulo, 1904-1905. 1904.
Keywords: psicopatologia forense. Primeiro livro de psiquiatria no Brasil.
Abstract: Foi o primeiro livro publicado no Brasil abrangendo o conjunto da psiquiatria. Foi escrito após quinze anos de prática nos serviços de alienados do Estado de São Paulo.

Franco da Rocha, Francisco. Estatística do Asilo-colônia de Juqueri. Arq. Bras. De Psiquiatria, Neurologia e Medicina Legal. 1911; 168-172.
Keywords: Juqueri; estatísticas.

Franco da Rocha, Francisco. Estatística e apontamentos sobre o Hospício de São Paulo. São Paulo. 1895.
Keywords: Hospício de São Paulo; estatísticas.

Franco da Rocha, Francisco. Moléstias mentais em São Paulo. Arq. Bras. De Psiquiatria, Neurologia e Ciências Afins. 1907; 3:274-284.

Franco da Rocha, Francisco. O beribéri no Hospício de São Paulo. Rev. Médica De São Paulo. 1902.

Franco da Rocha, Francisco. Responsabilidade atenuada dos alienados criminosos. Rev. Médico-Legal, Salvador, Bahia. 1897; 179.

Franco da Rocha, Francisco. Sobre um caso de paralisia geral. Brasil Médico. 1895; 225.

Franco da Rocha, Francisco and Pacheco e Silva, A. C. A demência paralítica em São Paulo. Arq. Bras. De Neuriatria e Psiquiatria. 1924; 20(1): 1-22

Licença Creative Commons
Conselho Brasileiro de Psicanálise (I.N.N.G.) de CBP(I.N.N.G.) é licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported.
Based on a work at www.cbpresp.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://cbp.webnode.com.br/.

@import url(http://www.google.com/cse/api/branding.css);

Procurar no site

© 2010 Todos os direitos reservados.